Pensar Enlouquece. Pense Nisto.



Pequeno Tratado Sobre a Mortalidade do Amor


Todos os dias morre um amor. Quase nunca percebemos, mas todos os dias morre um amor. Às vezes de forma lenta e gradativa, quase indolor, após anos e anos de rotina. Às vezes melodramaticamente, como nas piores novelas mexicanas, com direito a bate-bocas vexaminosos, capazes de acordar o mais surdo dos vizinhos. Morre em uma cama de motel ou em frente à televisão de domingo. Morre sem beijo antes de dormir, sem mãos dadas, sem olhares compreensivos, com gosto de lágrima nos lábios. Morre depois de telefonemas cada vez mais espaçados, cartas cada vez mais concisas, beijos que esfriam aos poucos. Morre da mais completa e letal inanição.

Todos os dias morre um amor. Às vezes com uma explosão, quase sempre com um suspiro. Todos os dias morre um amor, embora nós, românticos mais na teoria que na prática, relutemos em admitir. Porque nada é mais dolorido do que a constatação de um fracasso. De saber que, mais uma vez, um amor morreu. Porque, por mais que não queiramos aprender, a vida sempre nos ensina alguma coisa. E esta é a lição: amores morrem.

Todos os dias um amor é assassinado. Com a adaga do tédio, a cicuta da indiferença, a forca do escárnio, a metralhadora da traição. A sacola de presentes devolvidos, os ponteiros tiquetaqueando no relógio, o silêncio insuportável depois de uma discussão: todo crime deixa evidências.

Todos nós fomos assassinos um dia. Há aqueles que, como o Lee Harvey Oswald, se refugiam em salas de cinema vazias. Ou preferem se esconder debaixo da cama, ao lado do bicho papão. Outros confessam sua culpa em altos brados, e fazem de pinico os ouvidos de infelizes garçons. Há aqueles que negam, veementemente, participação no crime, e buscam por novas vítimas em salas de chat ou pistas de danceteria, sem dor ou remorso. Os mais periculosos aproveitam sua experiência de criminosos para escrever livros de auto-ajuda, com nomes paradoxais como "O Amor Inteligente", ou romances açucarados de banca de jornal, do tipo "A Paixão Tem Olhos Azuis", difundindo ao mundo ilusões fatais aos corações sem cicatrizes.

(continua no post seguinte)

Escrito por Inagaki às 23h39
[ ] [ envie esta mensagem ]



Existem os amores que clamam por um tiro de misericórdia: corcéis feridos.

Existem os amores-zumbis, aqueles que se recusam a admitir que morreram. São capazes de perdurar anos, mortos-vivos sobre a Terra teimando em resistir à base de camas separadas, beijos burocráticos, sexo sem tesão. Estes não querem ser sacrificados, e, à semelhança dos zumbis hollywoodianos, também se alimentam de cérebros humanos, e definharão até se tornarem laranjas chupadas.

Existem os amores-vegetais, aqueles que vivem em permanente estado de letargia, comuns principalmente entre os amantes platônicos que recordarão até o fim de seus dias o sorriso daquela ruivinha da 4a. série, ou entre fãs que até hoje suspiram em frente a um pôster do Elvis Presley (e, pior, da fase havaiana). Mas titubeio em dizer que isso possa ser classificado como amor (Bah, isso não é amor. Amor vivido só do pescoço pra cima não é amor).

Existem, por fim, os amores-fênix. Aqueles que, apesar da luta diária pela sobrevivência, das contas a pagar, da paixão que escasseia com o decorrer dos anos, da mesa-redonda no final de domingo, das calcinhas penduradas no chuveiro e das brigas que não levam a nada, ressuscitam das cinzas a cada fim de dia, e perduram: teimosos, e belos, e cegos, e intensos. Mas estes são raríssimos, e há quem duvide de sua existência. Alguns os chamam de amores-unicórnio, porque são de uma beleza tão pura e rara que jamais poderiam ter existido, a não ser como lendas. Mas não quero acreditar nisso.

Um dia vou colocar um anúncio, bem espalhafatoso, no jornal.

PROCURA-SE: AMOR-FÊNIX
(ofereço generosa recompensa)

Escrito por Inagaki às 23h39
[ ] [ envie esta mensagem ]



Uma música...

... que quando toca me faz pular da cadeira e sair correndo, pra dançar e pular na pista feito débil mental: "Bizarre Love Triangle" - New Order

... que ouço no volume máximo a fim de obrigar os vizinhos a conhecê-la: "Accused of Stealing" - Delgados

... a ser tocada na trilha sonora do filme sobre a minha vida, no exato momento em que beijo a mocinha pela primeira vez depois de longa e excruciante espera: "True Love Waits" - Radiohead

... que deveria ser tocada em cadeia nacional de rádio e televisão: "A Cara do Brasil" - Celso Viáfora

... maravilhosa com letra em francês: "Lo Boob Oscillator" - Stereolab

... cuja cover foi capaz de superar a versão original: "Wild Horses", dos Rolling Stones, com The Sundays

... bacana como. De saber que, mais uma vez, um amor morreu. Porque, por mais que não queiramos aprender, a vida sempre nos ensina alguma coisa. E esta é a lição: amores morrem.

Todos os dias um amor é assassinado. Com a adaga do tédio, a cicuta da indiferença, a forca do escárnio, a metralhadora da traição. A sacola de presentes devolvidos, os ponteiros tiquetaqueando no relógio, o silêncio insuportável depois de uma discussão: todo crime deixa evidências.

Todos nós fomos assassinos um dia. Há aqueles que, como o Lee Harvey Oswald, se refugiam em salas de cinema vazias. Ou preferem se e nome de mulher: "Alison" - Elvis Costello

... que estaria tocando atualmente em todas as rádios, se vivêssemos em um mundo onde os programadores fossem menos imbecis: "Show" - Ná Ozetti

... dos Beatles, que ao ser regravada ficou tão boa quanto a original: "While My Guitar Gently Weeps" - Jeff Healey Band

... para tocar no meu funeral, enquanto os camaradas recordam casos embaraçosos que protagonizei durante minha vida banal: "Hold on Hope" - Guided by Voices

... para fechar os olhos e sonhar acordado: "The Killing Moon (All Night Version)" - Echo & the Bunnymen

... cujo título é melhor que a própria música: "I Sold Your Dog to a Chinese Restaurant" - Anal Cunt

... ótima para ouvir enquanto toco bateria no ar: "Another Morning Stoner"- And You Know Us by the Trail of Dead

... para ouvir no carro em uma estrada deserta, à noite, com o vento na cara: "Playground Love" - Air

... para matar alguém com requintes de crueldade: "Florentina de Jesus" - Tiririca

... que me faz lembrar de motel: "Baby Can I Hold You" - Tracy Chapman

... para curtir uma tremenda fossa, estatelado na cama com os olhos pregados no branco do teto: "Todo o Sentimento" - Chico Buarque

... que me faz lembrar de uma foda foda: "En La Ciudad de La Furia" - Soda Stereo

... que é brega, mas eu gosto mesmo assim e foda-se: "Pra Não Pensar em Você" - Zezé di Camargo & Luciano

... com letra foderosa e melodia mezzo mezzo: "Gurb Song" - Migala

... com melodia foderosa e letra mezzo mezzo: quase todas do Ira!

... altamente afrodisíaca: "Closer" - Nine Inch Nails

... que me faz lembrar alguém que eu preferiria esquecer: prefiro não esquecer de ninguém

... que eu venderia a alma para ter composto (ok, é exagero, talvez um ou dois dedos do pé): "God Only Knows" - Beach Boys

... para ouvir em dias de chuva, pensando no Tudo e no Nada: "Manhã de Carnaval" - João Gilberto

... que tocou no rádio até torrar o saco e mesmo assim ainda gosto: "Tempo Perdido" - Legião Urbana

Escrito por Inagaki às 09h37
[ ] [ envie esta mensagem ]



Desencontros do amor no Grand Canyon...

O que mata na vida são relacionamentos mal-resolvidos. Aquela menina que sorriu pra você na festa da formatura da 8a. série, e que você não assediou porque era um tremendo dum bunda-mole. A colega de trabalho com quem você teve um caso, e que não foi pra frente porque tanto ela quanto você estavam enrolados com outras pessoas, e que permanece encalacrada em seus pensamentos, feito uma bala Soft entalada na garganta. A vida que poderia ter sido mas não foi, como escreveu o Bandeira.

Quando penso em affairs enrolados, lembro sempre dos desenhos do papa-léguas. Nada me tira a convicção de que aquele coiote pagava o maior pau pelo Bip-Bip. E todas aquelas bigornas que caíam em sua cabeça, as quedas nos abismos do Grand Canyon que terminavam em nuvens de pó, e as explosões dos artefatos sempre bichados da Acme, não passavam de metáforas do desentendimento amoroso. Como um apaixonado desavisado, que ouve da amada uma frase como "não quero estragar nossa amizade", e sente o chão escapar dos seus pés.

Uma vez, por uma só vez eu gostaria de ver o Bip-Bip se entregando à imensa fome de amar do desajeitado coiote. Assim como gostaria de ver os moleques escapando da Caverna do Dragão, ou o Pato Donald dando uma coça nos folgados do Tico e Teco. Mas crianças, como todos devem saber, são sádicas, e gostam de ver personagens se estrepando, e riem gostosamente de tantas desgraças, e sofrimentos, e explosões.

(publicado originalmente no Spam Zine edição 007.)

Escrito por Inagaki às 00h31
[ ] [ envie esta mensagem ]



War can wait, masturbate!

O Senado norte-americano acaba de aprovar orçamento de US$ 355 bilhões para a defesa. Com tanto dinheiro nas mãos, não admira que Bush Júnior esteja louco para justificá-lo, em sua obsessão por bombardear os cocorutos iraquianos. Contra esse cenário cinza, merecem menção os apelos dos webmasters desta página: Masturbate For Peace. Que um dia, quem sabe, serão reconhecidos pela mesma Academia Sueca que já laureou com o Prêmio Nobel da Paz figuras como Henry Kissinger, Yasser Arafat, Shimon Peres e, mais recentemente, o ex-presidente norte-americano Jimmy Carter.

O site, que leva a sério o sábio adágio "faça humor, não faça a guerra", apregoa uma teoria que faz sentido: - Não há melhor antídoto para a guerra do que o amor. Oras, todo sentimento real deve vir de dentro - você não pode dar amor a terceiros sem amar a si próprio primeiro. Obviamente, masturbação é a maior expressão de amor próprio. Então é natural que nós, os cidadãos do mundo, unamos forças a fim de nos masturbarmos pela paz.

Dentre os argumentos em prol do onanismo anti-belicista elencados pelo site, destacam-se:

- Se você quer que algo seja bem feito, faça você mesmo.
- O que mais eu faria com 80 GB de sacanagens em meu PC?
- Porque eu não consigo fazer um boquete da paz em mim mesmo
.

Segundo os mentores do site, cerca de 4.000 petições vindas de 60 países (incluindo o Brasil, é bóbvio) já foram enviadas para a página (você também pode encaminhar a sua). Faça você também a sua parte. Mas cuidado com o teclado. :)

Escrito por Inagaki às 05h25
[ ] [ envie esta mensagem ]



Por onde anda Luis Gê?

"O CULPADO É O GOVERNO!". A tira acima, criada pelo genial Luis Gê, foi publicada originalmente na edição 17 da revista Chiclete com Banana, em fevereiro de 1989. Na época, José Sarney, provável presidente do Senado (ou ele, ou a Roseana) em um provável governo Lula, era o Presidente do Brasil. O final de seu mandato foi marcado por denúncias de compras de votos de parlamentares, com o propósito de votarem a favor de um quinto ano de mandato para o seu governo (a emenda acabou sendo aprovada). Tirando-se esta contextualização, a charge poderia ter sido desenhada hoje. Infelizmente.

Escrito por Inagaki às 22h55
[ ] [ envie esta mensagem ]



Passar roupa é pura adrenalina!

Um dos aspectos mais interessantes da Internet está na sua vasta amplitude de assuntos. Você nem precisa procurar: navega ao léu, e de repente esbarra com os sites mais excêntricos possíveis. De roupas feitas com papel higiênico (moda é uma merda) até FAQ sobre plantas carnívoras, passando por bolhas de plástico virtuais, museu de assentos de privada e fotos de pessoas comendo insetos, você pode até concluir que já viu de tudo neste mundo.

Ledo engano, mon ami, ledo engano. Veja isto: World Extreme Ironing Championship. Uma modalidade que, segundo seus criadores, "une as emoções de um esporte radical com a satisfação de uma camisa bem-passada". A foto acima mostra o vencedor do primeiro campeonato mundial deste, ahn, "esporte": um inglês que passou roupa no topo de uma das montanhas dos Alpes Franceses. A galeria de fotos do site mostra algumas das combinações mais esdrúxulas: são esportistas empunhando ferros de passar enquanto andam de BMX, esquiam na água, praticam snowboard ou bungee jump.

Por certo os brasileiros breve começarão a dar as caras no extreme ironing, dando um trato na roupa amassada enquanto surfam de trem, fazem embaixadinhas, se esquivam de balas perdidas...

Escrito por Inagaki às 21h33
[ ] [ envie esta mensagem ]



Assine djá!!!

Spam Zine VIVE.

Escrito por Inagaki às 01h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

 
Meu perfil





BRASIL, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Cinema e vídeo, Arte e cultura, Cortázar, Carl Barks, Beatles, Hitchcock
ICQ - 16223430



Meu humor



Histórico
25/01/2004 a 31/01/2004
18/01/2004 a 24/01/2004
11/01/2004 a 17/01/2004
04/01/2004 a 10/01/2004
28/12/2003 a 03/01/2004
21/12/2003 a 27/12/2003
14/12/2003 a 20/12/2003
07/12/2003 a 13/12/2003
30/11/2003 a 06/12/2003
23/11/2003 a 29/11/2003
16/11/2003 a 22/11/2003
09/11/2003 a 15/11/2003
02/11/2003 a 08/11/2003
26/10/2003 a 01/11/2003
19/10/2003 a 25/10/2003
12/10/2003 a 18/10/2003
05/10/2003 a 11/10/2003
28/09/2003 a 04/10/2003
21/09/2003 a 27/09/2003
14/09/2003 a 20/09/2003
07/09/2003 a 13/09/2003
31/08/2003 a 06/09/2003
24/08/2003 a 30/08/2003
17/08/2003 a 23/08/2003
10/08/2003 a 16/08/2003
03/08/2003 a 09/08/2003
27/07/2003 a 02/08/2003
20/07/2003 a 26/07/2003
13/07/2003 a 19/07/2003
06/07/2003 a 12/07/2003
29/06/2003 a 05/07/2003
22/06/2003 a 28/06/2003
15/06/2003 a 21/06/2003
08/06/2003 a 14/06/2003
01/06/2003 a 07/06/2003
25/05/2003 a 31/05/2003
18/05/2003 a 24/05/2003
11/05/2003 a 17/05/2003
04/05/2003 a 10/05/2003
27/04/2003 a 03/05/2003
20/04/2003 a 26/04/2003
13/04/2003 a 19/04/2003
06/04/2003 a 12/04/2003
30/03/2003 a 05/04/2003
23/03/2003 a 29/03/2003
16/03/2003 a 22/03/2003
09/03/2003 a 15/03/2003
02/03/2003 a 08/03/2003
23/02/2003 a 01/03/2003
16/02/2003 a 22/02/2003
09/02/2003 a 15/02/2003
02/02/2003 a 08/02/2003
26/01/2003 a 01/02/2003
19/01/2003 a 25/01/2003
12/01/2003 a 18/01/2003
05/01/2003 a 11/01/2003
29/12/2002 a 04/01/2003
22/12/2002 a 28/12/2002
15/12/2002 a 21/12/2002
08/12/2002 a 14/12/2002
01/12/2002 a 07/12/2002
24/11/2002 a 30/11/2002
17/11/2002 a 23/11/2002
10/11/2002 a 16/11/2002
03/11/2002 a 09/11/2002
27/10/2002 a 02/11/2002
20/10/2002 a 26/10/2002
13/10/2002 a 19/10/2002
06/10/2002 a 12/10/2002
29/09/2002 a 05/10/2002
22/09/2002 a 28/09/2002
15/09/2002 a 21/09/2002
08/09/2002 a 14/09/2002
01/09/2002 a 07/09/2002
25/08/2002 a 31/08/2002
18/08/2002 a 24/08/2002




Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Pensar Enlouquece, Pense Nisto (versão original com legendas)
 tudo vai ser DiFeReNtE


Vote Pensar Enlouquece no iBest e faça um Inagaki mais feliz!

Pensar Enlouquece é Top 10 do iBest Blog 2004. Para o alto e avante: clique aqui e me ajude a chegar ao Top 3!